Tag Archives: Muzik

Matiataka no Epinéfricos #2

29 mar

Dell Guiducci, às de espadas do Martiataka, diz:

“Tocou o telefone, era o Fausto. “Del, o Santinho ligou perguntando se a gente pode tocar dia 2 no Muzik, na festa do Epinefrina.” Não é um convite que se recuse. Eu disse então: “Claro. Dá uma ligada pro Salomão e eu vejo com o Frango e o Fabrício se eles estão livres.” A gente cumpriu o protocolo e, três minutos depois, o Fausto ligou de novo. “Salomas tá dentro. Tá tudo em cima?”, e eu respondi “Formou.”, e o Fausto finalizou: “A gente vai tocar com uma banda do Rio chamada StripClub.”

Dia 2 de abril a gente sobe ao palco do velho Muzik, onde estreamos nosso repertório autoral abrindo um show do Wander Wildner em 2001, para mais uma noitada roqueira. Um show no Muzik não se recusa. Um convite do Santinho não se recusa. E um evento como o Epinéfricos, oásis no deserto de opções de Juiz de Fora, é duplamente irrecusável. Dose dupla de rock puro e sem gelo. O Martiataka está dentro, e você?”

Anúncios

Não se esqueçam do lenço!

28 mar

Dia 31 de Março, no CAFÉ MUZIK – 22h

Lançamento DVD “Gravado nas nuvens” + Taruíra + Quinteto São do Mato + Jam Session

Não se esqueçam do lenço!

Ano passado, fui convidado pelo Felipe Hutter para integrar a produção do DVD “Gravado nas nuvens” de um grupo de choro contemporâneo de Petrópolis, o Taruíra (http://taruira.com.br). Em janeiro, fomos à cidade serrana, onde a Pararaio (http://pararaiofilmes.com.br) produziu com muito êxito e coragem, um projeto de parceria e esperança na produção alternativa e independente de conteúdo de qualidade. E isso, a custos baixíssimos – cada um acabou bancando a ideia de forma imaterial e material também! Na equipe, além do Rômulo, Dani, Jorge e Luiz da Pararaio, daqui de Juiz de Fora, participaram das gravações Mauro Pianta, Scaldini, Felipe, eu e a Paula Rivello, fotógrafa da Tribuna. Utilizamos câmeras fotográficas para a captação das imagens e o resultado foi bastante interessante, já que estes equipamentos permitem uma flexibildade maior em termos de lentes, distâncias focais e movimentos. O vídeo promo no YouTube – http://www.youtube.com/watch?v=ee-rp-EhU94

O still desse dia pode ser visto através do Facebook e Flickr e estão nesse álbum (Paula Rivello) e nesse, da Mariana Rocha, fotógrafa de Petrópolis.

Paula Rivello - Petrópolis 08/01/2011

Muito mais do que um evento institucional, o lançamento do DVD “Gravado nas nuvens”, primeiro do Taruíra, é uma tentativa de descobrir, descortinar um universo de produção cultural em Juiz de Fora que existe, mas que não tem uma organização clara e sofre com a pouca valorização de público e financiadores. E olha que a Funalfa está colaborando e muito com a explosão cultural nestes últimos meses por aqui.

Além disso, a parceria entre Juiz de Fora e Petrópolis é bastante estratégica. Quando fui conhecer o Taruíra, fomos a uma casa tradicional chamada Dangelos, de 1914, cheia de vitrais em espelho etc e talz. Para minha surpresa, o patrocinador daquilo tudo era o Café Toko – concluí que a marca exibida no espelho, única, teria bancado uma parcela da reforma ou mesmo, o espelho. Falei com o pessoal do grupo e a maioria conhecia o café, mas nenhum imaginava que era daqui de Juiz de Fora. Percebi com a conversa que muitas necessidades de trabalho e de criação de cultura eram parecidas. Sofremos uma influência muito grande do Rio e nosso imaginário sempre está fora de nossas cidades. Há produção artística, porém desarticulada; a participação do estado é intermitente e, às vezes, desproporcional, pesando para um lado apenas… essas e outras foram as conclusões a que chegamos. E mais, entre as capitais Rio e BH, Juiz de Fora com meio milhão e Petrópolis com 350 mil, são as maiores cidades, mas que não se conhecem e talvez possam passar a se complementar, em função de haver características próprias, um pouco distantes, porém com necessidades muito próximas e gente animada e talentosa.

Por fim, fazer a comunicação dessas ideias e desses produtos culturais, cada vez mais é facilitada pelas novas tecnologias e a internet. A produção de conteúdo é rápida e a sua distribuição, mais ainda. Como estamos na era da contribuição e colaboração, para tentar sair do bojo monopolizado nada melhor do que formar projetos com pessoas que querem crescer e que acreditam que é possível fazê-lo através de ideias e por vias alternativas como as cidades médias e, principalmente, pela rede, onde, aparentemente, somos todos horizontais, independente de nosso ponto no mapa ou posição social.

Ficaria muito feliz se pudessem comparecer ao evento ou, ao menos, divulgá-lo para pessoas que possam gostar de boa música. Na noite teremos ainda o Quinteto São do Mato – com músicas trabalhadas em cima de temas turcos, ciganos, latinos e brasileiros (baixe as músicas do primeiro CD do Quinteto pelo link a seguir: http://quintetosaodomato.com/musicas/), além de uma Jam Session com os grupos e outros músicos convidados.

Desde já, agradeço por tudo e espero você no Muzik, nesta quinta, a partir das 22h – tenho certeza que seu espírito sairá de lá satisfeito e alimentado. Só não se esqueça do lenço!

Abaixo seguem dois flyers virtuais do lançamento. Caso curta o evento, pode passar para seus contatos nas redes, seria ótimo! Leve também seus familiares e amigos não-virtuais!!!

Muito Obrigado, um forte abraço,

João Paulo de Oliveira

 

Epinéfricos #002

24 mar

Calma, a adrenalina está voltando.

Depois de enlouquecer a noite do Muzik com muito rock´n roll em fevereiro, Epinéfricos # retorna para a sorte dos pés frenéticos e dos ouvidos órfãos de Juiz de Fora:

DIA 02 de ABRIL, 23h

Café Muzik

Strip Club do Rio de Janeiro e MARTIATAKA vão dar o clima da festa!

StripClup MySpace

Martiataka MySpace

Epinéfricos #001 em vídeo

14 mar

Festa Epinéfricos 12-02-2011 – Café Muzik
edição # 001

Bandas
Lumière
Colorado
Cris Carcará

Imagens

Hércules ( Hercs )

Edição

Bruno dos Santos

Epinéfricos – Edição #001

3 fev

Dia 12/02 – Café Muzik

Macaco Bong no Muzik

2 fev

dia 23/02 no MUZIK – por Bruno Santinho

2ª Noite Fora do Eixo

Macaco Bong é um power trio de Cuiabá (MT), nascido em 2004. A banda é um dos programas do Instituto Cultural Espaço Cubo, e baseia-se na desconstrução dos arranjos da música popular em seus formatos convencionais e aliada à linguagem das harmonias tradicionais da música brasileira com jazz/fusion/pop e etc.

Já circulou os principais festivais de música do Brasil (além de Argentina e Canadá), e teve seu cd “Artista Igual Pedreiro” eleito o melhor de 2008 pela revista Rolling Stone Brasil e lançado na Argentina pelo selo Scatter Records.

texto retirado em “Divulgue seu evento no Zine”

100 shows de Híbrida

11 jan

%d blogueiros gostam disto: