Tag Archives: Cumbuca

Comboca

14 jul

 

Comboca se faz passar o tempo
Falatório geral da oralidade
cozinha essa boca mulher
Faz o tempo ser raiz de sua alma
deixar se ser temperamento
Cozinha Raiz
Cozinha a mim
Que eu te faço alimento
Comboca.

Raizza

 

Comboca: ação que será realizada no Festival Cumbuca do Circuito Zero Grau em Juiz de Fora. Dia 15 de julho, às 19h, no Diversão & Arte. André Fonseca, Claudia Meirelles, Cynthia Rezende, Lilian Gil, Luciana Maia, Raizza e Renata Rodrigues.

Anúncios

Primeira Cruzada – Exercício

27 maio

 

Ignoro a meta, cruzo a reta, realmente não sei. Não faço a menor ideia ou idéia do que será ou sera. Ignoro a regra, perco as prega, sinceramente não rei. Não trago a maior vontade de meter ou me ter no que se é ou se é isso mesmo. Mas cruzo, cruzo muito, a certo e a sinistro, e falo sacanagens tântricas por longos milésimos de segundos pixelizados no frame do passatempo. E, pacientemente, completo as casas.

Vou jogando com o entorno, palavreando como for possível, onde for possível, quando for possível, se isso for possível.

Espero algo ao fim de tudo.

 

Dias 28 e 29 de maio, no CORREDOR CULTURAL
Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, 1° piso.
Av. Getúlio Vargas, n° 200.
Juiz de Fora – MG

Altos de passagem

24 maio

 Altos de passagem: experimento que trabalha com trocas residuais, através da construção de intercâmbios em lugares de passagem. Transitando entre a reflexão sobre a possibilidade de alargar uma ideia de patrimônio e esgarçar o conceito de memória, construídos pelas próprias pessoas que atravessam uma praça ao abandonar seus pertences em pontos aleatórios, neste experimento, resíduos são trocados com pertences da artista, tramando uma teia de relações e matérias que poderiam ser entendidas de forma ampla como patrimônios pessoais, coletivos e culturais do espaço urbano, entrelaçando universos íntimos e públicos daqueles que atravessam as fisicalidades de uma praça, por exemplo. Os objetos abrem a possibilidade para a construção de álbuns de família – livros de coleção, bens que guardam simbolicamente a memória e o patrimônio de um grupo de pessoas. A memória é necessariamente uma tentativa de resgate? Poderia o patrimônio se transformar em resíduos a flutuarem entre as trocas sensoriais e corporais de uma cidade? Através dessas questões, seria possível costurar um álbum de coleções corpóreas, materiais e sensoriais, de experiências que transitam entre passagens, que permitem o levantamento de interseções, brechas e tramas transitórias…

Posto em breve novas trocas… Outras a acontecer no Cumbuca.

exposição “Por Um Fio”

24 maio

exposição suspensa

“POR UM FIO”

Não há gravidade na queda.
Nem queda.

Fotografias de Diego Zanotti.

Dias 28 e 29 de maio, no CORREDOR CULTURAL
Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, 1° piso.
Av. Getúlio Vargas, n° 200.
Juiz de Fora – MG

Gratuito.

Blog Cine-grafias:
www.cine-grafias.blogspot.com
Projeto A Sua Violência,  A Minha Violência
http://asuaviolenciaaminhaviolencia.blogspot.com/

 

quem violenta quem? A Sua Violência, A Minha Violência no CUMBUCA

23 maio

 

Vamos fazer o Violência no Corredor.

O projeto estreou aqui em setembro do ano passado,  e desde então já foi a público diversas vezes, a maioria no Rio. Essa será a décima apresentação.

Desde setembro venho aguçando cada vez mais meu olhar pro tema e me impressiona perceber como ele permeia as situações e nossas atitudes. Será isso do humano, de nossa cultura, de nosso tempo, será isso do meio em que eu vivo, será isso uma tendência do meu olhar atual? Independente de onde venha a resposta, me vejo violentada diariamente, e procuro perceber em que contribuo para esse ciclo, se o faço inconscientemente, se o faço por escolha.

Porque a violência também é uma escolha possível.

Busco a experiência de vivê-la sem moralismos ou preconceitos, com um olhar mais amplo de onde ela se encontra e do porquê a escolhemos aqui e ali.

No momento, sem maiores pretensões a não ser a observação.

No Cumbuca, pelo Corredor Cultural, vamos fazer os 3 experimentos. Me vejo agora, como a cada vez que vamos para o corpo a corpo, na contagem regressiva, tentando não adiantar o que pode vir e me manter aberta pro que possa aparecer. Já em exercício.

Aproveito pra divulgar o blog que eu e Diego fizemos, com fotos, vídeos, e mais detalhes do que tem rolado nesse processo.

http://asuaviolenciaaminhaviolencia.blogspot.com

 

 

CUMBUCA::Epinefrina no Corredor Cultural!

23 maio

O que é a CUMBUCA?

 

Mostra de projetos e processos de pesquisa que envolvem integrantes do Coletivo Epinefrina. Cumbuca traz a público produções de diversas áreas da arte contemporânea, criando assim outros discursos a partir do diálogo e da contaminação entre artistas, público e ambiente.

 

O Coletivo Epinefrina apresenta para o CORREDOR CULTURAL propostas de vários de seus Núcleos de Trabalho, dividindo com cidade o que acontece nas investigações e produções de cada um de seus integrantes.

 

Onde e Quando?

28/05   sábado

de 22h às 02h

Centro Cultural Bernardo Mascarenhas

Av Getúlio Vargas, 200 – Centro

Juiz de Fora/ MG

dentro da programação do Cabaré de Variedades do Corredor Cultural – Funalfa/Prefeitura de Juiz de Fora

 

%d blogueiros gostam disto: