1º ato

11 jul

 

 

 

1º ato –  Estudo que parte de uma confluência de sentidos (sentidos-caminhos e sentidos-sensações),

de sentimentos e criações surgidos ao longo do último ano, dos estudos dos caminhos de Alice,

da sua vontade de ser grande, de seu medo de crescer demais, dos meus encontros por esses trajetos, das minhas vontades, de traçar rotas imaginárias, ou de traçar rotas seguras,

de me perder, de ficar atada diante dessas vontades, ou das minhas frustrações, das faltas que me fizeram falta,

do medo do desencontro, do medo do solilóquio, de falar sozinha, de me calar ou de não poder falar,

dos aprisionamentos, da impossibilidade de traçar outros rumos, de cair em armadilhas, de não criar armadilhas, da impossibilidade de estar pequena demais quando queria ser enorme e de estar crescendo descontroladamente,

quando precisava passar pelo buraco da fechadura, da vontade do ensaio, da ojeriza ao espetáculo, do amor ao espetáculo e do medo do ensaio, a vontade de ser maior, ou menor,

que me leva a outros, muito grandes e muito pequenos, percorrendo o labirinto de maravilhas,

palavras e movimentos, percorrendo o labirinto das angústias e dos sentimentos, através, como Alice, de encontros e desencontros, dos acasos e desacasos.

No meio do caminho havia uma ideia…

 

 

experimento pele

1 jul

“Instaurar Mundos

 

A voz-corpo do poeta, encarnada pela garganta, emite uma instrução aos leitores:

Para ser lido alto. Para ser lido

bem alta voz pera ser lido para

dentro. Para ser incêndio

LUZ FOGO CALOR

Que se acenda através de todos os órgãos

ALASTRAR

Ou não quer????

Ou não quer????

Ou não quer????

PARA SER LIDO ALTO. AFÃ

(Waly Salomão, Gigolô de Bibelôs p. 140)

 

O tom é forte e nítido, cristalinidade da vogal a que amplifica e alteia o tom, numa espécie de alta-fidelidade que inunda os ouvidos de um apelo quase mântrico, e alastra o fogo, via audição, corpo adentro. O incêndio de que se fala é aquele cuja queimadura branda impõe trocar de pele. Ou não quer, repete reiteradamente o refrão.

É a poesia abrindo alas à estranhesa. A instrução do poeta funciona como um rito que prepara o ouvido a ser capaz de perder-se de si, desnortear-se, consumir-se lentamente.”

(Rosane Preciosa, Rumores Discretos da Subjetividade  p. 47.)

 

 

Trata-se de um experimento de troca de pele.

a performance é parte da programação do Festival Internacional de Performances: 1º Arte ao Vivo – Rio ao Vivo

acontece no sábado, dia 2 de julho às 19h na Rampa, Rua Sá Ferreira 202, Copacabana.

 

Grito Rock 2011 Petrópolis-RJ (DOC)

29 jun

O Grito Rock Petrópolis é uma produção de PETROPOLIS INC em conjunto com o Circuito Fora do Eixo e conta com parceria das Casas Associadas e apoio Toque no Brasil.
O festival está filiado à Associação Brasileira de Festivais Independentes (ABRAFIN).

A primeira edição do Grito Rock na cidade foi um festival de artes integradas,com apresentações de 8 bandas, 9 artistas plásticos, 7 fotógrafos, mostra audiovisual e DJs.

Nós fomos até lá para trabalhar, dançar e festejar.

Assista o DOC :

http://www.youtube.com/watch?v=xruO3wXWQms

Confira outros vídeos algumas bandas do GRito Rock Petrópolis-RJ

 

( imagens Bruno santinho / HRCS / Digu Hang )

http://www.youtube.com/watch?v=LlFyZc27Zn4&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=-KOolqpnuuo&feature=player_embedded

 

Cruzando

29 jun

 

Depois das primeiras incursões, a espada, acidentalmente erguida, pesou.
Depois de uma xícara de chá, a coisa fluiu um pouco melhor.
Eis o resultado.

Artista: André Fonseca
Proposta: Cruzadas

Cruzadas – exercícios

As Cruzadas – exercícios são experiências em que o artista pretende preencher “quadros de palavras cruzadas” com termos suscitados a partir de suas observações ou interações com um determinado ambiente. Cada ambiente será previamente escolhido e tomado como campo de trabalho por um período de tempo restrito, mas indeterminado, uma vez que cada ação deve durar o tempo necessário para o artista conseguir preencher completamente um quadro do passatempo. Não haverá dicas ou sugestões em quaisquer casas do quadro. Durante todo o tempo, uma filmadora irá registrar parte do que acontece ao seu redor e estes registros, tanto os arquivos audiovisuais quanto os “quadros de palavras cruzadas”, serão armazenados para serem utilizados nas propostas Cruzadas – instalações.

Cruzadas – instalações

As Cruzadas – instalações são ambientes montados a partir dos registros de cada experiência realizada no projeto Cruzadas – exercícios. Os vídeos gravados, quadros de palavras cruzadas preenchidos, e qualquer material resultante de cada um dos experimentos serão utilizados na montagem de uma instalação a ser experimentada pelo público. Cada instalação terá suas especificidades a partir da experiência vivenciada pelo artista nos exercícios. A princípio, o artista pretende realizar oito exercícios, dos quais resultarão oito instalações.

Circuito Zero Grau – Tromba d’Água – 8 de Julho

28 jun

Uma enxurrada de imagens – é o que propõe, pela terceira vez, o Festival de Vídeo Experimental Tromba d’Água, realizado pelo Espaço OOO e Coletivo Epinefrina, no espaço cultural Diversão & Arte, em Juiz de Fora. Nessa edição, além dos trabalhos de criadores locais, o evento contará com obras de videoartistas de São Paulo (Cecília Lucchesi e Carol Nogueira), Rio de Janeiro (Eveline Cunha, Christian Caselli e Guilherme Whitaker), Buenos Aires (Letícia El Obeid) e Belo Horizonte (Igor Amin e Carlos Magno).

Durante o Tromba d’Água serão realizadas performances live durante o evento, como o Laboratório Colaborativo de Cecília Lucchesi, que contará com a participação de artistas performáticos do Coletivo Epinefrina e a sonoplastia de Pedro Paiva “Vinil é Arte”.

Os visitantes poderão passear livremente pelas salas do espaço cultural, nas quais encontrarão as obras em exibição (loop) durante todo o evento. O Tromba d’Água é gratuito e tem como objetivo a criação de um público e a viabilização de um espaço (mesmo que efêmero) na agenda cultural local para as criações audiovisuais de caráter experimental / artístico.

Em 2011, o Festival abrirá o Circuito Zero Grau, festival de inverno independente de Juiz de Fora, realizado a cada sexta feira de Julho. Anexo ao Espaço Cultural Diversão & Arte, estará em funcionamento a Boutique dos Sabores, com um show da banda Radiola (JF).

Paciência

26 jun

“Levo as coisas com paciência, na falta de outro modo de suportá-las” (Van Gogh, em carta endereçada a seu irmão, Théo).

Inspire e expire.

Isto tem me perseguido, ou tenho perseguido isto. Vou vendo que todo desconforto é suportável, e aos poucos passa a confortável, nova força. Tom Zé sempre pausa: “tenha calma”.

Sinta a postura.

Às vezes não sei, acho que pode ser ou não, e sempre quando acho que tenho certeza é que me lembro do artista da fome, de Kafka. Penso em fazer jejum, mas melhor seria não ter o que comer. Não sentir este apetite todo, mesmo. Quem sabe só respirar…

Respire luz.

Acho que vou para uma leitura descompromissada, ou jogar sem querer um papel amassado e desinteressante no canto da rua. Ou praticar algum joguete de passatempo com cartas de baralho, palavras a completar ou algo que lembre a minha infância, quando o mundo compactuava comigo um pouco mais que hoje. Vou alargando ou cortando o lóbulo da minha orelha calmamente, sangrando paulatinamente. Sem reciclar o lixo mas sendo reciclado por ele.

Vou comer alguma coisa, mas não tenho fome. E ninguem me assiste do outro lado da grade, só lê, e cruza.

Festival Aos Berros 2011 – Cobertura Oficial

22 jun

O núcleo de áudio visual do coletivo epinefrina, foi contratado para registrar o Festival Aos Berros de Cinema eMúsica Independentes que aconteceu no dia 11 de junho de 2011 em Juiz de Fora – MG.

Saiba mais: http://aosberros.com

Imagens :

Bruno Santinho

Hércules HRCS

Jerferson Stainer

assista :

 

%d blogueiros gostam disto: